domingo, 20 de setembro de 2009

União de Leiria 1 - 2 Benfica - 5ª Jornada 09/10

Difícil, muito suado, mas justíssimo. Foi assim o triunfo do Benfica esta noite em Leiria, num estádio cheio como nunca antes se tinha visto. A União é uma boa equipa, muito bem treinada por um homem do futebol, dos melhores treinadores portugueses, e com uma mescla de experiência e juventude que vai causar mossa nesta Liga. No entanto, o Benfica vai jogando cada vez mais à Benfica, com garra, querer, vontade de vencer o jogo até ao fim, no retorno daquilo a que com os anos se convencionou chamar a "mística benfiquista". Parece-me que essa mística está de volta ao estádio da Luz. Esperemos que seja para ficar.



O primeiro golo surgiu logo aos 4 minutos, por intermédio do "Conejo" Saviola, que apareceu completamente livre de marcação em mais um livre indirecto (o Benfica está a tornar-se especialista nesta matéria, seja em livres marcados por Aimar ou Coentrão; Di Maria é que tarda a assumir-se como um bom cobrador de bolas paradas).



13 minutos depois, a União iria chegar ao empate num lance semelhante, em que David Luiz se precipita e acaba por trair o seu guardião.



Depois, vimos um jogo de qualidade, disputado de parte a parte, com as duas equipas a procurar o golo (obviamente o Benfica mais atacante com a União mais na expectativa, mas nem por isso menos perigosa), até que ao minuto 78 Aimar é abalroado dentro da área por Mamadou Tall. Diga-se o que se disser, é claramente penalty, pois o jogador da União, ainda que tivesse a intenção de jogar a bola, atinge de forma violenta o 10 do Benfica. Penalty muito bem assinalado e o quinto golo de Cardozo no campeonato, ele que começou no banco mas que acabaria por entrar na segunda parte para o lugar do incipiente Keirrison, que ainda está muito verde nestas andanças. A jogar assim nunca terá lugar no Benfica, quanto mais no todo-poderoso Barcelona de Guardiola.



Deste jogo destacam-se as exibições individuais de Javi Garcia, mais uma vez imperial no meio-campo, e de Saviola, sempre muito inteligente na forma como pensa as jogadas, sem esquecer o grande sentido de oportunidade que lhe permitiu marcar o 1º golo. Pela negativa, as exibições de Di Maria, hoje completamente anulado pelos defesas leirienses, e Keirrison, que é um corpo estranho nesta equipa e passou completamente ao lado do jogo. Na União, que tem uma excelente equipa, os destaques neste jogo recaem em Silas, ainda um grande organizador de jogo (quem levou anos a dizer que só tínhamos Deco como nº 10 "português" provavelmente nunca viu jogar Nuno Assis e Silas), Panandetiguiri, que é um excelente e polivalente defesa, e obviamente o ponta de lança Carlão, que hoje não marcou mas é um avançado temível que põe em sentido qualquer defesa.

Foi uma vitória arrancada a ferros mas justa e acima de tudo muito importante, porque temos de ganhar todos os jogos mas obviamente também devido à derrota do clube assumidamente corrupto ontem. Continuamos a 2 pontos do líder Braga e só dependemos de nós para atingir o objectivo de milhões de portugueses espalhados pelo mundo. Já só faltam 25 finais.

Vejam os golos aqui:

6 comentários:

Anónimo disse...

Parabems jorge sousa!

Peter 7 disse...

Anónimo ignorante, lê a Lei 12 sobre o jogo perigoso antes de mandares bitaites...

Bruno Venâncio disse...

Não vou perder o meu tempo a responder a um anónimo. Foi penalty claríssimo, só um cego não vê. Se fosse sobre o Hulk ou o Liedson já não havia qualquer dúvida. Como foi a favor do Benfica é esta estupidez. Tenham juízo. Corruptos.

Jotas disse...

Confesso que no final da partida, estava convencido que Jorge Sousa, havia cometido um erro grosseiro, com nitída influência no resultado, facto esse motivado, confesso, pela minha ignorância, pois julgava que qualquer acção de jogo perigoso, que foi evidente e consensual nos orgãos de comunicação social, era sempre punível com livre indirecto. Mas hoje de manhã, ao ler o jornal, constatei que estava errado, pelo simples facto de segundo a lei XII (fica aqui a informação para os que anseiam dizer que o Benfica é levado ao colo), diz o seguinte: " O jogo perigoso não implica necessariamente contacto físico entre os jogadores, No caso de contacto físico, a acção passa a ser punida com um pontapé de livre directo ou com pontapé de grande penalidade", logo, o árbitro obedeceu à lei e assinalou bem a grande penalidade.

Mas o que importa destacar é que são vitórias com esta que fazem campeões e esta foi duplamente importante, não só porque o Porto havia perdido, como também pelo facto de na prx semana haver Porto-Sporting, que vai terminar, assim espero, empatado.

Saviola disse...

Aziados é normal .

Difícil mas conseguimos vencer . Ainda não percebi , o Keirrison é nosso jogador ou é defesa da outra equipa ? :S

Bruno Venâncio disse...

Por enquanto é nulo, é um elemento estranho às 2 equipas. Vamos lá ver se isso ainda muda. Como se pode ver na sondagem ali ao lado, ninguém parece acreditar muito nas suas qualidades...