quinta-feira, 22 de julho de 2010

Reforços 2010/11 - Roberto

Hoje é a vez de apresentar o quarto (e até agora último) reforço do Benfica para a nova época, depois de Fábio Faria, Jara e Gaitán. Falo do guarda-redes espanhol Roberto.


Roberto estreou-se como "profissional" com 18 anos na equipa B do Atlético de Madrid, na época 04/05. Com a baliza da equipa principal entregue ao internacional argentino Léo Franco, o guardião espanhol teve de evoluir na equipa secundária dos colchoneros, onde actuou até ao fim da época 06/07 - segundo a Wikipédia, disputou 39 jogos pelo Atlético B nesses 3 anos. Pelo meio, estreou-se pela equipa principal em 05/06, beneficiando de uma série de lesões e castigos que vitimaram os seus concorrentes. Actuou apenas num jogo - derrota por 2-1 com o Osasuna -, tinha então 19 anos - a título de curiosidade, o Atlético terminou essa temporada em 10º.


Em 07/08 foi emprestado ao Nástic, da II Liga espanhola, assumindo a baliza do clube em 28 jogos. Terminaria em 14º.


Sem lugar no plantel do Atlético, pois para a baliza havia Léo Franco, Coupet e o ex-júnior Bernabé, Roberto foi dispensado para o Recreativo de Huelva (envolvido no negócio que levou o actual sportinguista Sinama-Pongolle para Madrid), onde foi colega do português Beto, mas com opção de recompra por parte do Atlético. Tapado pelo espanhol Asier Riesgo, Roberto acabou por actuar apenas em jogos da Taça do Rei, num ano em que o clube terminou em último lugar a Liga espanhola.


Roberto, contudo, veria novamente as portas do Atlético de Madrid abertas. Os colchoneros, depois de verem partir Coupet e Léo Franco, accionaram a opção de recompra pelo espanhol e contrataram-no, juntamente com Asenjo. Este assumiu a titularidade, mas o facto de ter ido disputar o Mundial sub-20 com a selecção espanhola permitiu a Roberto ascender à titularidade, cumprindo 4 jogos na baliza colchonera. No entanto, uma lesão no Estádio do Dragão, em jogo da Liga dos Campeões, fê-lo perder o lugar para o jovem De Gea, acabando por sair por empréstimo em Janeiro para o Saragoça, que ocupava os últimos lugares na Liga espanhola.


Chegado ao clube aragonês (onde actuou com o português Eliseu), Roberto depressa tirou o lugar ao argentino Carrizo, jogando em 15 jogos e assumindo-se como um dos salvadores do clube, que acabou em 14º lugar.


Não sendo internacional A pela Espanha, Roberto tem passado nas selecções jovens do país vizinho: realizou 7 jogos pelos sub-17, 2 pelos sub-18, 3 pelos sub-19, 1 pelos sub-20 e 6 pelos sub-21. Actualmente com 24 anos, Roberto vem referenciado de Espanha como um guarda-redes muito promissor e com capacidade para, a médio prazo, se poder assumir como o titular da selecção de Espanha, sucedendo a Casillas.


Só pode ser, portanto, uma mais-valia para o Benfica. Pelas referências que traz, pelo preço que custou (8,5 milhões de euros) e pelas qualidades naturais que demonstra ter (agilidade, boa impulsão, reflexos apurados). Parece faltar-lhe, no entanto, alguma força a nível mental, o que acaba por miná-lo também no plano técnico. Denota, ainda, dificuldades nas saídas a cruzamentos (algo de que quase todos os guarda-redes em Portugal parecem padecer). No entanto, Jorge Jesus já fez questão de demonstrar por variadíssimas ocasiões que a baliza do Benfica vai estar destinada ao guarda-redes espanhol, com Júlio César e Moreira a partirem muito atrás nesta corrida. Roberto terá, ainda, a missão de fazer esquecer Quim, guarda-redes 2 vezes campeão pelo Benfica (e 2 vezes vencedor da Taça da Liga) e o guardião menos batido do último campeonato (a par de Eduardo, do Braga). Não será tarefa fácil aquela que Roberto vai ter de enfrentar, num ano em que o Benfica vai apostar forte na conquista de 4 troféus (o primeiro dos quais já a 7 de Agosto, frente ao Porto) e onde quererá fazer figura na Liga dos Campeões. Muito do sucesso do clube pode mesmo ter de passar pelas mãos - e pés - do espanhol. Esperemos que as qualidades que todos lhe reconhecem consigam aparecer e que o guarda-redes supere todos os traumas psicológicos que podem advir de exibições menos conseguidas. Se for feito esse trabalho junto de Roberto, o Benfica estará bem servido na baliza.

6 comentários:

KR4SIK disse...

Ando com um pé atrás com este mas vamos lá ver se cumpre com o que lhe é pedido ...

sloml disse...

Até ao jogo da Supertaça (e tendo em atenção também os que se seguirem, tanto para o campeonato como para a Liga dos Campeões) tem todo o meu apoio. Nenhum dos seus erros nos custou qualquer ponto ou título ainda. Se vier a acontecer depois... bem, aí será outra conversa.

Abraço

Manuel Oliveira disse...

Ainda acredito também, Sloml. Sabes disso pois leste o meu post.

Abraço.

Blog do Manuel

An Toino disse...

Os espsnhois n~so são tolos. Hã muitos craques em miúdos e quando chegam aos 20e tal são nmedianos.
Se este fosse par asubstituir (no futuro) o Casillas na selecção, então já lá tinha estado como 2º ou 3º guarda redes.

sloml disse...

An Toino, não te esqueças que além do Casillas a Espanha tem outros grandes guarda-redes. Neste momento são o Reina e o Valdés, antes havia o Canizares e ainda há o Diego López e outros assim. Não é fácil entrar naquele grupo. O que é dito desde há muito é que o Roberto tem potencial para lá chegar. Veremos se o conseguirá ou não.

Bimbosfera disse...

Boas. Estou com o Sloml e o Manuel. Tem o meu apoio, e até ver está em aprendizagem como os outros.
Força Roberto!

Abraço

Márcio Guerra, aliás, Bimbosfera

Bimbosfera.blogspot.com