domingo, 13 de dezembro de 2009

Olhanense 2 - 2 Benfica - 13ª Jornada 09/10

Um resultado normal, se tivermos em conta o que já vimos no jogo de Braga. O Benfica não sabe ser forte psicologicamente em situações adversas. Quando começa a perder, não consegue dar a volta ao resultado. E quando o ambiente extra-futebol antes do jogo é adverso, também não tem sabido dar a volta a esse facto. Aconteceu em Braga e aconteceu ontem em Olhão. Para mim, o culpado principal é, como sempre quando as coisas não correm bem, o treinador. Jorge Jesus é muito bom treinador, o melhor do Benfica dos últimos largos anos, mas tem, para mim, dificuldades no plano psicológico. Tanto no discurso que tenta fazer passar para os jogadores, como ele próprio me parece bloquear psicologicamente quando as coisas não estão a correr de feição. E isto é muito preocupante.



A equipa começou apática e sem conseguir travar o ímpeto atacante do Olhanense, que já de si costuma ser muito, pois jogadores como Ukra e Castro são muito perigosos, e ontem iriam ser ainda mais, pelas razões que todos conhecemos. E foi numa arrancada de Ukra pela esquerda que nasceu o primeiro golo do jogo. O árbitro assinalou falta de Ramires, que é discutível, mas tirada a papel químico de uma sobre Maxi Pereira um minuto antes a beneficiar o Benfica. Portanto, não há aqui qualquer mão do árbitro a prejudicar deliberadamente os encarnados. O que há, sim, é um falhanço gritante da defesa do Benfica, que deixou Carlos Fernandes cabecear completamente à vontade. Isto sim, foi um erro gritante.



Depois aconteceu a escaramuça que se viu, criada por uma falta muito dura de Castro sobre Coentrão, que merecia cartão vermelho. No entanto, como todos sabemos, em Portugal nunca aos 26 minutos se expulsa um jogador por uma falta assim, e não ia ser ontem a primeira vez. Depois, Djalmir merece o vermelho, mas Cardozo, estupidamente, demonstrando uma imaturidade gritante, corre metade do campo para ir dar uma chapada ao brasileiro, pondo-se completamente a jeito de ser expulso. Mais uma vez, quanto a mim, o árbitro deu mostras de não estar ali para nos roubar, e mostrou apenas o amarelo ao paraguaio, quando poderia perfeitamente tê-lo expulso. Bastava querer. Aí só faltou a advertência a Anselmo, que deu uma chapada ao Tacuara igual à deste em Djalmir. Seria na mesma medida para os 2. Ou amarelo, ou vermelho.



A seguir veio o golo do magnífico Conejo. Saviola continua a demonstrar a sua imensa qualidade e inteligência. Um jogador de 1,68 metros que se farta de marcar golos na pequena área tem de ser muito inteligente e ter um fantástico sentido posicional. E ele tem-no em larga escala.



O Benfica voltou depois a sofrer um golo infantilmente, com erros grosseiros de marcação a deixar Toy!!! marcar o 2º do Olhanense.



A seguir, deu-se a expulsão estúpida de um puto estúpido, burro e imaturo que infantilmente agrediu um adversário sem que se justificasse minimamente tal atitude. Resultado: muito bem expulso e fora do jogo mais importante da época até agora. Burro, burro, burro.
Na segunda parte, mais uma vez a equipa não foi capaz de dar a volta a uma situação adversa. O melhor que conseguiu foi empatar, por intermédio do desprezado capitão, que, para mim, ainda dá muito jeito em certas situações. Um pouco à imagem de Mantorras.



O Olhanense fez uma exibição à sua imagem, com mais garra ainda do que é habitual, talvez pelas razões que todos conhecemos. O melhor em campo da equipa de Olhão ontem, sinceramente não consigo dizer um em específico. Toda a gente acha que a grande figura da equipa é Ukra. Confesso que o seu futebol, apesar de vistoso, me faz lembrar o de Di María. E isso não é bom. Apesar da expulsão tão precoce, que prejudicou a equipa e a sua exibição, naturalmente, o melhor jogador do Olhanense é claramente Djalmir. Mas toda a equipa é boa, pecando por não ter soluções para combater a inexperiência. É por isso que não tem conseguido melhores resultados em toda a época. Mas joga um bom futebol, como tem mostrado em todos os jogos, e acredito que se irá manter na primeira Liga.

O árbitro não teve influência no resultado, na minha opinião. O jogo acabou com 5 amarelos para cada lado e 2 vermelhos para o Olhanense e um para nós. O livre que dá o primeiro golo do Olhanense nasce de falta inexistente de Ramires, mas um minuto antes tinha havido um livre igual para nós (mal assinalado). Portanto, por aí estamos quites. Deixam-me algumas dúvidas o golo do Toy, mas é muito semelhante ao do Nuno Gomes. E na expulsão do Djalmir, até podemos estar agradecidos, pois Cardozo, que é muito burro, podia perfeitamente também ter sido expulso. Di María é o que venho a dizer há muito tempo: muito potencial, muito talento para ser explorado, mas ainda lhe falta tanto, tanto, para ser um bom jogador. É um miúdo burro e imaturo. Não tem ponta de inteligência. O árbitro fez o que podia e devia. Aliás, Carlos Fernandes nem lhe fez nada naquele lance que justificasse uma atitude daquelas. Indescritível. Só o amarelo a Coentrão é que acho forçado, mas sinceramente, foi na linha de toda a arbitragem, que considerei boa. Esteve coerente com o que vinha a fazer até então. Burro foi o Jorge Jesus em pôr o Coentrão mais a defender quando sabia que já nem ia ter o Di María no jogo com o Porto. Isto sim é ter falta de visão. E se quisermos ser imparciais a sério, David Luiz também deveria ter sido amarelado, no mínimo. E não foi. E o Miguel Garcia acabou por ser expulso por tirar de esforço. Portanto, na minha óptica, não temos de nos queixar do árbitro. Temos antes de criticar a atitude com que a equipa entrou no jogo, totalmente incorrecta. JJ não soube galvanizar a equipa para aguentar psicologicamente este jogo. Viu-se desde o 1º minuto que os jogadores estavam todos condicionados a pensar no jogo com o Porto, e como cada um se aguenta psicologicamente de formas diferentes, tivemos a resposta sobre quem é maduro e quem não é. Cardozo mostrou que não é (e já tem 26 anos). Di María é um puto estúpido. E David Luiz teve sorte. É nisto que temos de ponderar. A culpa dos insucessos é sempre do treinador, sempre defendi isto. E hoje foi de novo. Apenas e só. Esta é a minha opinião. Estou a defender os interesses do meu clube, os verdadeiros interesses, que não se baseiam só em pensar que os árbitros estão todos contra nós. Eu tenho outra filosofia de estar na vida, e de estar no desporto.

O Benfica perdeu assim dois pontos num jogo onde claramente podia ter saído vencedor, apesar de todas as dificuldades. Corremos o risco de ir para o clássico com apenas mais um ponto que o Porto, e isso será perigosíssimo. Espero que não vá acontecer nada de muito anormal no jogo e que o Benfica consiga dar a volta às adversidades que resultarão de não ter Di María, Coentrão, Amorim e Ramires (e ainda não se sabe o que tem Aimar). Portanto, o meio campo em princípio será constituído por Javi Garcia, Carlos Martins, Menezes e Aimar. Ver-se-á no que vai dar. Espero que ganhemos e que seja dada uma prova por parte da nossa equipa de que também conseguimos ultrapassar as contrariedades com que nos deparamos. Rumo ao 32º!

Os golos do jogo aqui:

1 comentário:

Jotas disse...

Retenho aqui algumas palavras de hoje de manhã, em conversa de café, com um vizinho adepto confesso do Sporting. "Depois do que vi em Olhão, embora me custe admiti-lo, porque como sabes detesto o Benfica, a verdade é que no futebol português começa a valer de tudo para tingir os fins, não se admiti, nem se pode pactuar com a violência imposta em campo pelo Olhanense, nem com o constante clima de provocação, seja contra clube for, isso só envergonha o nosso futebol e sinceramente, acho que não há equipa que seja capaz de resistir a tamanha quantidade de provocações, embora o Benfica tenha muitas culpas no cartório, quem manda no futebol tem de uma vez por todas colocar um ponto final nisto, sob pena do nosso futebol se afundar de vez na arruaça e na vergonha. Já o meu Sporting, é o que se vê, por mais amigos que sejam os adversários não tem futebol para ganhar seja a quem for".
Para se ter uma ideia do clima de intimidação que o Benfica já esperava, mas contra o qual não se conseguiu conter, Jorge Jesus não deixou os seus jogadores seguirem de imediato para o balneário, não fossem acontecer cenas tipo Braga e com mais expulsões que não se percebessem e só depois de toda a gente entrar no túnel é que os comandados de Jesus se encaminharam para o balneário, julgo que esta acção diz tudo, sobre aquilo que se vai passando obscuramente no nosso futebol e do que Jesus já esperava.
Julgo que isto diz tudo sobre aquilo que impumente se vai passando no futebol português, triste!