sexta-feira, 15 de outubro de 2010

O Benfica na Taça de Portugal - 2002/03

A um dia de iniciarmos a nossa participação na Taça de Portugal 2010/11, retomo a rubrica "O Benfica na Taça de Portugal", desta vez com uma nuance em relação ao que costumo fazer: até agora, apenas coloquei performances dignas de registo do nosso clube neste tipo de rubricas, de modo a exaltar os feitos conseguidos nessas campanhas. Desta feita, pelo contrário, vou relembrar um dos piores momentos da história do clube (pelo menos da história recente), de modo a mostrar o que pode acontecer quando se menospreza o adversário, seja ele qual for. Porque o Benfica é um clube que tem de entrar em todos os jogos com o mesmo espírito, com a mesma ambição e vontade de ganhar. Não é por defrontar o Arouca que se deve pensar que o jogo vai ser favas contadas. E esta dolorosa derrota com o Gondomar em 2002/03, se serviu para alguma coisa (além da demissão do execrável Jesualdo Ferreira), foi para nos demonstrar isso mesmo. E da forma mais dura.


(O onze titular do Benfica-Gondomar)

No dia 24 de Novembro de 2002, o Benfica recebia o Gondomar, da II Divisão B, na quarta eliminatória (primeira em que participavam os grandes) da Taça de Portugal. A forma da equipa não era a melhor (era segunda, a 9 pontos do Porto de Mourinho), mas éramos os claros favoritos, obviamente, tal a diferença de valor entre as 2 equipas. No Gondomar, orientado por Jorge Regadas, os nomes mais sonantes (que é como quem diz...) eram os dos avançados Bock (formado no Porto, fez carreira como grande goleador na II Divisão B e mais recentemente, já trintão, na II Liga - ainda lá joga, no Freamunde) e Cílio Souza, que 3 anos antes havia chegado a Portugal em Janeiro para marcar 12 golos em 18 jogos e trazer o Beira-Mar de volta à I Liga. Depois apagou-se, passou pelo Rio Ave e nessa época tentava relançar a carreira no Gondomar. Havia ainda Ernesto Brunhoso, formado no Boavista e com passado nas selecções jovens de Portugal, que nunca conseguiu mostrar nada de jeito como sénior - na I Liga representou apenas o Salgueiros e de forma muito fugaz. Na baliza estava Nuno Claro, que ganhou notoriedade nos últimos anos no Cluj, da Roménia, onde é titular e já foi 2 vezes campeão. No entanto, nesta altura era um jogador praticamente desconhecido, com passagens fugazes por Vitória de Guimarães e Paços de Ferreira. No Benfica, pelo contrário, os "craques" abundavam. O problema (um dos...) é que neste jogo Jesualdo decidiu dar tempo a alguns dos habituais suplentes (e outros terceiras escolhas, como foi o caso do guarda-redes) e o resultado foi um terrível fracasso. Neste dia, jogaram pelo Benfica Nuno Santos; Armando Sá, João Manuel Pinto (o capitão), Hélder e Cabral; Andrade e Petit; Roger e Zahovic; Nuno Gomes e Fehér. Confesso que, olhando para este 11, não faço a mínima ideia como o meio-campo estava formado (Andrade a trinco, Petit como interior direito, Roger como esquerdo e Zahovic a 10? Seria isto?). O certo é que o resultado final foi desastroso. Nuno Santos nunca havia jogado pelo Benfica (e nunca mais voltou a jogar), Armando era titular ocasionalmente, assim como João Manuel Pinto, Cabral nunca jogava, Andrade idem (a não ser nos jogos com os grandes...), tal como Roger e Fehér. Neste jogo jogaram e deu barraca.


Cílio Souza marcou logo aos 10 minutos, num grande golo de livre, e nos outros 80, a equipa foi incapaz de reagir, demonstrando gravíssimas lacunas ao nível da construção e também da pontaria. Ao intervalo, e já depois de Drulovic ter entrado para o lugar de Roger aos 33 minutos, Mantorras substituiu Cabral. Aos 70', Anders Andersson tomou o lugar de Zahovic. Mesmo assim, a equipa não foi capaz de virar este resultado.


Aqui fica a minha memória deste jogo (escrita) e o golo que nos eliminou e que aterrou 6 milhões de portugueses nesse fatídico dia. Para que amanhã, frente ao Arouca, não se repita o mesmo erro, de modo a que no final da época possamos estar no Jamor a festejar a conquista da 25ª Taça de Portugal do nosso historial, 7 anos depois da última conquista (e 6 depois de lá termos ido pela última vez). Eu acredito!



PS: As imagens foram "roubadas" do blog Conversas Redondas, que passei a conhecer agora e o qual aconselho todos a visitarem.

4 comentários:

VHugo disse...

Parece que não vamos cair no mesmo erro agora.

http://forcamagicoslb.blogspot.com/2010/10/curiosidade.html

Cantinho do Morais disse...

É sempre bom relembrar erros do Passado para se precaver no Presente e Futuro.
No entanto, a qualidade técnica e o profissionalismo que rege a actual equipa técnica e um vasto conjunto de jogadores do Benfica não permite que tal "Taça" volte a acontecer.
O rigor e a qualidade são bastante elevadas.

Esse Benfica do Gondomar era um Benfica pedante, com um treinador que cheguei a ver a fumar cigarrilhas no banco de tão convencido que era. E no actual Benfica não há jogadores arrogantes ao nivel de um Zahovic, João Manuel Pinto e Roger.

Isso era outro Benfica...

Um grande abraço

sloml disse...

VHugo, pois é, felizmente não aconteceu.

Cantinho, muito obrigado pelo comentário. Só não sei se posso concordar com a última parte, pois não sei se esses 3 jogadores eram arrogantes e se foi por isso que perdemos esse jogo. Mas pronto, o que lá vai, lá vai ehehehe

Grande abraço aos 2.

Bimbosfera disse...

Boas. Por acaso, provavelmente por ser Benfiquista, é que estou mais com o Sloml no caso das «arrogâncias», mas do Jesualdo, sim, concordo plenamente.
Não aconteceu «Taça», mas o Sporting não se livrou de um susto, mas vamos ver como corre agora!

Abraço

Márcio Guerra, aliás, Bimbosfera

Bimbosfera.blogspot.com