domingo, 12 de setembro de 2010

JVP


Guimarães-Benfica

1 - Guimarães inteligente e venenoso vence Benfica nervoso e sem discernimento

Este jogo e o resultado final resume-se bem na forma como as duas equipas entraram em campo, com o Guimarães a actuar de forma inteligente, cautelosa mas venenosa e o Benfica nervoso, ansioso e com pouco discernimento. Numa partida de futebol interessante e imprevisível, começou por ser a equipa da casa a ganhar superioridade, pela sua velocidade, determinação e confiança, o que fez com que fosse mais perigosa, perante um Benfica algo desconcentrado, com pouca dinâmica e que só acordou depois do primeiro golo. Reagiu depois, meteu mais velocidade nas suas iniciativas, mas definindo sempre de forma deficiente o seu último passe. Ainda chegou ao empate, teve ascendente e, com um futebol mais directo e objectivo, tentou ganhar, mas os riscos que correu foram-lhe fatais. Com as substituições, o Guimarães soltou-se mais, teve mais espaço e chegou à vitória porque foi a equipa que melhor soube aproveitar os erros adversários.

2 - Campeão diferente e com vida complicada

O que se viu em Guimarães e neste arranque de época foi um Benfica claramente diferente ao da época passada, na qual entrou de forma excepcional, apostando num estilo de jogo rápido, com naturalidade, dinâmica e boa capacidade física dos jogadores, que lhes permitiu aumentar progressivamente os níveis de confiança. Agora, vemos um campeão com falta de frescura física, por certo consequência da participação de alguns jogadores importantes no Mundial, uma vez que tiveram menos descanso e a mesma carga física durante a pré-época, o que faz com que as coisas saiam de outra forma. Além disso, sempre que surgiam dificuldades, Fábio Coentrão e Di María, por exemplo, superavam os obstáculos. E neste jogo Coentrão e Gaitán, que até deram alguma dinâmica à equipa, não chegaram para garantir o triunfo. Falta também confiança e isso é um problema que o Benfica terá de contornar, sob pena de ver a liderança ficar cada vez mais distante numa época em que a corrida ao título não será apenas a três porque também o Sporting, pelo que tem mostrado, estará no lote da frente. Ou seja, neste início de época, o Benfica não atingiu ainda o nível da anterior e os seus adversários directos, FC Porto, Braga e Sporting, estão mais fortes.

3 - Manuel Machado ganha jogos das substituições

Decisivas foram as primeiras duas substituições operadas por Manuel Machado, aos 52', uma vez que o técnico do Guimarães percebeu que estava a perder o meio-campo, dada a maior intensidade de jogo do Benfica. Com a entrada de Flávio Meireles, principalmente, e de Rui Miguel, a equipa recuperou o equilíbrio e segurança defensiva e os jogadores da frente tiveram maior liberdade para criar problemas à defesa do Benfica, culminando essa vantagem com a obtenção justa do golo da vitória, precisamente pelo Rui Miguel. Do lado contrário, as substituições não surtiram efeito, porque o Benfica ficou menos esclarecido sem Carlos Martins em campo e deixou de criar tanto perigo sem Gaitán. Por isso considero que Manuel Machado venceu o jogo das substituições.

4 - Nilson infeliz e Roberto com suficiente menos

Muito se tem dito e escrito sobre as exibições dos guarda-redes, nomeadamente de Roberto. Neste jogo, a infelicidade tocou a Nilson, no lance do golo do Benfica, enquanto o guardião dos encarnados não teve culpas nos dois golos sofridos, embora em um ou outro remate de fora da área tenha tremido. Ainda assim e até ao momento, Roberto continua a demonstrar que não é um guarda-redes que transmita confiança à equipa, algo que é fundamental para que esta se solte mais e apresente uma maior consistência e segurança no seu jogo. Frente ao Setúbal, na jornada anterior, até defendeu um penálti, mas isso foi apenas um lance. Mas não foi por ele que o Benfica perdeu este jogo porque os dois golos do adversário nasceram em jogadas ofensivas da equipa de Jorge Jesus, com perdas de bola e falhas de marcação que foram devidamente aproveitadas pelo Guimarães, que soube jogar muito bem no erro do seu opositor.

5 - Coentrão e Martins perdem para João Ribeiro e Ricardo

O Benfica viveu muito das iniciativas de Carlos Martins, um jogador que foi perigoso pela qualidade dos seus passes em diagonais, a meter a bola entre o central e o lateral, explorando principalmente a velocidade e capacidade técnica da dupla Coentrão/Gaitán que, sem fazer um jogo brilhante, esteve nos melhores lances dos encarnados. No entanto, como melhor jogador em campo destaco João Ribeiro, um jogador que imprimiu boa dinâmica ao ataque do Guimarães e que fez um grande passe para o primeiro golo. Também aponto como decisiva a actuação do central Ricardo, pela forma simples como assumiu as acções defensivas.

13 comentários:

Manuel Oliveira disse...

Sloml, depois do roubo, nem quero saber de crónicas de jogo. Mesmo assim, achei nojento o facto dele não tocar, nem ao de leve, no trabalho do árbitro. Claro que não é essa a sua função e que escreve para o JOGO, mas os erros de arbitragem influem e de que maneira no rendimento dos jogadores.
Por isso, JVP vai à .....!
E ainda querem que seja um símbolo do Benfica!

Abraço.

sloml disse...

Manuel, o João Pinto não fala de arbitragem porque a sua função como cronista n' O JOGO é falar apenas de futebol. Para falar de arbitragem há a rubrica "Tribunal de O JOGO". Se a mesma não existisse, acredito que ele falasse do assunto, mas assim as coisas não se misturam. E não me importo com isso, porque gosto de ouvir falar de futebol quem percebe de futebol.

Abraço

Tiago disse...

quando a arbitragem não influencia um jogo pode-se não falar disso. agora neste caso é vergonhoso nem sequer dizer uma frase!

zigofrigo disse...

Lembram-se do verão de 94 quando este menino tentou fugir para o Sporting e foi-se esconder em Espanha num refúgio arranjado por Sousa Cintra?!!!

Jorge de Brito repescou-o e ele chegou a Lisboa com um herói.

Só não fez exactamente o mesmo que Paulo Sousa por na altura o seu "pai" Valentim Loureiro o ter avisado de que não tinha razões para rescindir e ter indicado a Jorge de Brito onde ele encontrava.

Para mim é um símbolo da máfia - cara limpa com alma suja que faz o jogo da Camorra...

Que comentador íntegro fala de um jogo que teve erros grosseiros do arbitro sem os referir, nem que seja por por possível condicionante, à prestação de uma equipa?!!!

O ano passado ouvi-o dizer que o Braga tinha sido condicionado pelo o caso do túnel...

Segui toda a carreira de João Pinto, desde o mundial de 89, conheço o bem e considero-o um homenzinho que apenas pretende protagonismo - muito dele é dado por benfiquistas, a quem ele desrespeita de forma camuflada e tem gozo nisso!

Publicar crónicas deste vendido ao sistema é cravar facadas no coração do Benfica!

Gaspar Esteves disse...

ESte já há muinto que vendeu a alma ao diabo. Não podemos esquecer que o bufolas foi ao seu casamento, escreve para o NOJO e começou a carreira de comentador na SPORTV...

PS: Confidenciaram-me que recusou convite para o ALLSTAR BENFICA!...

sloml disse...

Amigos, vamos por partes.

Tiago: ele não fala de arbitragem nas suas crónicas certamente porque tem instruções do jornal para não o fazer, visto que o mesmo jornal tem uma rubrica dedicada apenas a isso. Caso contrário, acredito que ele referisse esse facto, obviamente.

Zigofrigo: O João Pinto já explicou essa fase em variadíssimas ocasiões. Estava sem receber ordenado no Benfica há meses, tinha apenas um ano de clube (razão pela qual não tinha a obrigação de sentir o clube de coração, pois o Benfica não era o seu clube de sempre, ao contrário do Paulo Sousa e do Pacheco) e teve uma proposta muito boa do Sporting. Por sorte, acabou por se aperceber da burrice que estaria a cometer e voltou atrás. Em boa hora o fez, pois tornou-se num símbolo do Benfica - pelo menos para mim. Não tem nada a ver com a "máfia", como lhe chama. Na verdade, o João recusou por mais de duas vezes convites muito tentadores do Porto. Preferiu mesmo ir para o Boavista a ir para o Porto quando estava sem clube, depois de sair do Sporting. Acho que isto diz tudo.

Quando ele disse o ano passado que o Braga tinha sido condicionado pelo caso do túnel não entrou em juízos de valor sobre isso, disse apenas que o Vandinho fazia falta à equipa do Braga, o que era verdade. Não disse que o castigo era justo ou injusto.

Se seguiu toda a carreira do João Pinto e pensa assim, não lhe posso dizer mais nada. Eu sempre vi nele um óptimo profissional, que deu tudo pelos clubes onde passou. E na minha opinião, ele, não sendo benfiquista de criança, ficou benfiquista de coração, mesmo tendo jogado no Sporting depois.

Eu continuarei a publicar as crónicas dele porque concordo quase sempre com tudo o que ele diz, porque é um homem que sabe do que fala, que jogou futebol mais de 20 anos e também porque o admiro muito. Não creio que fira o Benfica por publicá-las.

Gaspar Esteves: Digo-lhe o mesmo que disse ao leitor anterior. Os sítios onde o João trabalhou, fê-lo para ganhar a vida, tal como eu, você e qualquer outra pessoa.
Acima de tudo, é um grande profissional e não pode ser criticado por ganhar a vida. Quanto ao seu PS, o próprio João, dias depois do jogo, explicou no programa onde participava na RTPN que foi convidado mas por motivos pessoais não pôde estar presente. Curiosamente, esteve presente no Estádio da Luz no jogo com o Rio Ave em que fomos campeões. Isso não sabia, pois não?

zigofrigo disse...

Caro Sloml,

Se ele disse isso é um grande mentiroso. Ele tinha perto de dois meses de ordenados em atraso.

Paulo Sousa perdeu o caso em tribunal e por isso o Sporting teve de indemnizar o Benfica porque ficou provado que não tinha dois meses de ordenados em atraso, se tivesse, a lei permitia a rescisão com justa causa. João Pinto encontrava-se na mesma situação!!!

João Pinto foi convencido por Valentim Loureiro disso mesmo. Esteve em contacto com ele enquanto se manteve no esconderijo e foi isso que o fez regressar!

Se aceitou escrever para um jornal anti-benfiquista, ou, ainda pior, órgão oficial dos corruptos, estando impedido de analisar a arbitragem demonstra o tamanho seu benfiquismo!

Se o Benfica perder um jogo e marcar 2 golos limpos invalidados pelo árbitro, ele fará um análise com base em quê: nos defeitos que o Benfica apresentou e nas virtudes da outra equipa?!!!

É o que faz nesta...

Acredite que ele nunca foi benfiquista, mas com base nessa mentira dispõe de uma tremenda aceitação pública porque os antis também gostam bem dele!

Ele só não foi para o Porto porque José Veiga já andava de candeias à avessas com o corrupto-mor e a proposta do Sporting foi muito boa.

Não o critico por publicar as crónicas dele, acho só, que são facadas no Benfica e, sim, para mim ele faz o jogo da camorra.


PS: Não vejo nunca a Tvi, hoje vou ver (se o ténis o permitir) só para apreciar o que ele vai dizer... visto que até comentadores portistas, como Bruno Prata, consideram que a arbitragem condicionou o resultado!!!

sloml disse...

Ele não disse quantos meses tinha em atraso. Disse que a situação não estava regularizada e que isso, aliado à sua juventude (tinha apenas 22 anos) o fez não pensar bem nas coisas. Quando se deu conta do erro que estava a fazer voltou atrás e eu valorizo muito isso.

Sobre ele escrever no jornal O JOGO, digo-lhe aqui que eu próprio sou um jornalista do jornal O JOGO e não é por isso que sou menos benfiquista. Se quiser falar mais sobre isso mande-me um e-mail, e falaremos melhor por lá.

A proposta do Porto, assim como as do Newcastle e Chelsea, eram muito superiores à do Sporting. Ele aceitou a do Sporting porque isso lhe permitiu ficar em Lisboa, onde tinha toda a sua vida assentada, os filhos na escola e tudo isso, e ele nunca foi homem de mudanças bruscas na vida (na única que aceitou tomar, logo aos 20 anos, deu-se mal e acredito que isso o tenha traumatizado).

Quanto ao seu PS, eu também não vejo esse programa mas quase que lhe posso garantir que ele não vai falar de arbitragens. Das poucas vezes que o vi na RTPN, ele nunca falou disso porque estava lá apenas e só para falar do futebol jogado, tal como o Luís Freitas Lobo. E é isso que eu considero fazer falta nesse tipo de programas. Para falar dos árbitros há os programas da treta com os barrascos a comentar casos de arbitragem.

zigofrigo disse...

Nos poucos minutos que segui do programa confirmei a minha certeza: João Pinto quando questinado sobre arbitragem lá considerou que não, refugiando-se que para falar da arbitragem estava lá o Pedro Henriques. Já Sá Pinto foi da opinião que os erros condicionam os resultados... e que ele, quando andou lá dentro, sentia isso... claro que ao ouvir isso João Sá Pinto lá balbuciou qualquer coisa...

Pois é, fiquei na dúvida de qual deles é benfiquista...

Definitivamente acho João Pinto um dissimulado - não pretendo que defenda o Benfica apenas que o trate como aos outros clube...

sloml disse...

Exactamente: ele nunca comenta as arbitragens. E acho que faz muito bem, pois a função dele nesses programas não é essa. Quanto a ser benfiquista ou não, não sei pois não o conheço pessoalmente. Sei apenas o que deu ao Benfica enquanto serviu o nosso clube, e deu muito. Foi o jogador com mais classe que vi vestir a nossa camisola.

Vermelhusco disse...

A mim da-me a volta ao estomago ver alguem que e um simbolo do nosso clube nem sequer mencionar este escandalo.

Mesmo que nao seja um corrupto e um frouxo.

sloml disse...

Vermelhusco, são pontos de vista. Chama-lhe o que quiseres. Ele não é pago para falar de arbitragem. Acredito que se fosse por exemplo numa entrevista ele falaria disso, obviamente, mas nesses programas e no jornal ele é pago para falar do futebol jogado e não dos árbitros.

Bimbosfera disse...

Antes de ler os comentários, dizer que o Sporting não é candidato a nada. Nada. Ou já está a receber juros do Moutinho, golo mal anulado à Olhanense, ou então não sei... Pode ser uma forma «elegante» para com um clube onde jogou.
Sobre a arbitragem, que sei que ele não costuma comentar, podia ter deixado uma palavra, de tão absurda que foi.
Bom, agora que já li os comentários... A ideia principal é a mesma que a minha, no entanto estou com o Sloml, e acho que ele não é pago para falar disso. Apenas, pelo escândalo que foi, podia ter mencionado. São posturas. Assumiu, fora da vida pessoal, ou seja, na parte profissional, assinar pelo «clube que não fala de arbitragens», ok, é a postura dele.

Abraço

Márcio Guerra, aliás, Bimbosfera

Bimbosfera.blogspot.com