domingo, 21 de março de 2010

O Benfica na Taça de Portugal - 2003/04

Para dar força ao nosso clube em dia de final de uma taça, no caso a da Liga, inauguro a rubrica "O Benfica na Taça de Portugal", destinada a relembrar os maiores feitos do Benfica na Taça de Portugal em toda a sua história. Desta vez, e ao contrário do que tem sido hábito, começo com a conquista mais recente nessa competição: a Taça de Portugal de 2003/04, com José Antonio Camacho ao comando de uma equipa que tinha perdido Miklós Fehér meses antes e que aproveitou assim para lhe dedicar um título (e também ao júnior Bruno Baião, falecido pouco depois do húngaro). Foi também uma final vencida a um super-Porto de Mourinho que havia acabado de garantir o bis no campeonato com uma superioridade estonteante e que se sagraria campeão europeu uma semana depois. Foi, portanto, um enorme feito, essa conquista da Taça de Portugal nessa época. E é com o mesmo espírito de conquista, de ambição mas também de humildade que teremos de enfrentar a final desta noite, que não sendo da mesma competição, é igualmente importante para criar a dinâmica de vitórias de troféus nesta equipa, que apesar do futebol fantástico que tem vindo a apresentar esta época... ainda não ganhou nada. O meu feeling é que hoje vamos ganhar o 1º título da época. Que os jogadores se inspirem no caminho triunfal do Benfica na Taça de Portugal de 2003/04 (dos jogadores que levantaram esse troféu, ainda estão no actual plantel Luisão, Moreira e Nuno Gomes; eles que relembrem como foi ganha essa final aos colegas, para que hoje se repita o mesmo cenário: a nossa vitória!).


A caminhada do Benfica na prova começou com uma vitória sobre o Estrela da Amadora por 3-1, na Luz, com golos de João Pereira, Tiago e Roger, conseguidos apenas nos últimos 15 minutos do encontro.

Na quinta eliminatória, defrontámos, em Coimbra, a Académica. Vencemos por 1-0, com golo de Luisão.

O Benfica ficou isento nos oitavos-de-final, voltando a jogar nos quartos, em casa com o Nacional da Madeira. Vencemos por 2-1, num jogo em que Argel foi o herói improvável: apesar de não ter marcado qualquer golo, o central brasileiro entrou aos 78 minutos para... ponta-de-lança, com o Benfica a perder por 1-0, e galvanizou os colegas para a reviravolta no marcador. Que chegaria, primeiro por Tiago, aos 85 minutos, e dois minutos depois por Sokota. A equipa estava assim nas meias-finais da prova.

Nas meias-finais, defrontámos, novamente em casa, o Belenenses. Uma vitória por 3-1, com golos dos mesmos intervenientes: Sokota (2) e Tiago.

A final, essa foi contra o Porto. Como já disse acima, uma equipa acabada de se sagrar bi-campeã nacional, com um percurso irrepreensível no campeonato, e que uma semana depois se sagraria também campeã europeia. Aliás, apesar de na semana seguinte ter essa importantíssima final com o Mónaco, José Mourinho não poupou nenhum jogador da equipa habitualmente titular, com excepção do guarda-redes (fez descansar Vítor Baía, dando a titularidade a... Nuno, que também estará hoje na baliza portista - bom prenúncio...). O Porto marcou primeiro, por Derlei, em cima do intervalo, mas o Benfica chegaria ao empate aos 59 minutos de jogo, pelo improvável Fyssas, naquele que foi o seu único golo com a camisola encarnada.


A vitória do Benfica só surgiria já no prolongamento, através da cabeça de Simão.


O Benfica levantava assim a 24ª Taça de Portugal do seu historial, quebrando um jejum de 8 anos sem a conseguir vencer (e de 7 sem ir sequer à final). Que estas imagens e vídeos inspirem os nossos jogadores para mais uma final gloriosa esta noite.


Os titulares na final:


Os festejos dos 2 capitães, naquela que foi a passagem de testemunho de Hélder a Simão:


O resumo do jogo, num vídeo feito pelo Memória Gloriosa, aqui:



A festa dos adeptos pelo país fora, aqui:







PS: Dos outros jogos, não coloquei quaisquer fotos ou vídeos porque simplesmente não encontrei nada de nada na net.

PPS: Muitas das fotos foram retiradas do grande Vedeta ou Marreta.

4 comentários:

Rearviewmirror disse...

UMa nota em relação á lesão grave de Varela:

No futebol nunca acreditei em atletas que passassem de jogadores medios/vulgares, a super estrelas do futebol, numa idade mais avançada.
Estranhei muito que o Varela depois de ter feito uma época mediana no Huelva, e depois de ter feito outra tambem não assim tao brilhante no Estrela da Amadora, tenha vindo a explodir no FCP aos 24 ou 25 anos de idade.
Achei muito estranho um jogador com um pique de velocidade como o que ele tem, andasse perdido este tempo todo por equipas secundárias. E ainda acho.

Num dos muitos blogs desta imensa blogosfera, alguem alertou que no ano de 87, também 2 jogadores do FCP fracturaram o perónio em treinos, e esses acontecimentos poderiam estar relacionadas com o aumento subito de massa muscular, e o não acompanhamento no crescimento dos ossos nesse repentino desenvolvimento, fragilizando-os e tornando-os mais vulneraveis a fracturas.
Também a calvice subita de vários jogadores do FCP (André, Bandeirinha, Semedo, Jaime MAgalhães, etc) poderiam querer indicar algo em relação a procedimentos menos próprios por parte de elementos ligados a esse clube..

Também acho estranho que 4 jogadores pilares do FCP como foram Doriva, Emerson, Chainho e Paredes, depois de terem saido do FCP por vários Milhões de Euros, tenham perdido a "exuberancia fisica" que os caracterizavam.

Pelo menos que isto tudo é estranho, lá isso é...

www.averdadedaliga.blogspot.com

sloml disse...

Não digo que não seja estranho, porque o é. Mas quero acreditar que são apenas coincidências.

Anónimo disse...

é doping sem dúvida

sloml disse...

Anónimo, é como disse antes. Sobre isso não posso opinar porque não tenho qualificações nem conhecimentos para tal. Os médicos que expliquem esses casos.

Cumprimentos